2010, ano eleitoral: uma análise filosófica do cenário político brasileiro

Posted on 12 de junho de 2010. Filed under: Política Nacional |

Em meio a todo descontentamento da sociedade com a política no Brasil, viveremos em 2010 um momento de suma importância para o destino do nosso país: as eleições. Neste ano, destaca-se a eleição presidencial.
É comum presenciar cenas de pessoas falando que só votam por causa da obrigatoriedade. Mas por que grande parte dos cidadãos está alimentando este tipo de pensamento em relação ao voto? No período da Ditadura Militar, quando o voto para presidente ainda não era direto, diversas manifestações conduzidas por diferentes setores da sociedade foram às ruas reivindicar por um substancial direito democrático: o voto direto. Atualmente, o povo brasileiro desfruta desta conquista popular, porém a mesma passa por uma crise de valorização.
Práticas corruptas e antiéticas por parte de políticos têm contribuído essencialmente para que ocorra um descontentamento do povo com a política.
Vinte e um anos depois da primeira eleição pós-ditadura percebe-se que o Brasil herdou feridas preocupantes daqueles tempos obscuros. O empreguismo, o clientelismo, o fisiologismo são exemplos claros. Estes vestígios remetem a classificarmos que a política brasileira está enfrentando um período genericamente chamado coronelismo branco ou neo-coronelismo. Isto por que hoje se repete a mesma prática de tempos atrás: líderes políticos – geralmente em exercício de algum cargo eletivo – utilizam sua alta popularidade para ludibriar a cabeça da população e impor certas idéias de interesse próprio. Tal prática maquiavélica é frequente no cenário vivido no Brasil de hoje, no entanto é maquiada por compensações aproveitadoras da inócua posição das classes mais assoladas por problemas sociais como a fome e o desemprego.
Todas estas questões influenciarão fortemente nas eleições de 2010, que prometem mais uma vez uma disputa plebiscitária pelo Palácio do Planalto e acirrados embates nos estados nas eleições para governador, senador e deputados. No entanto, nem tudo é tão coerente quanto aparenta. Certas alianças entre partidos por muitas vezes parecem mais ser negociadas por conveniências, ou seja, por ambições em vantagens futuras. Logo, a afinidade ideológica tem ficado de lado a cada dia que passa, e o povo cada vez mais confuso e perplexo diante de certos posicionamentos. Está instaurada, portanto, uma crise ideológica dentro dos partidos políticos no Brasil.
Cabe ao povo, então, fazer a diferença, pois este deve ser o verdadeiro detentor do poder, tendo a missão de se impor e provocar com que o governo o tema e faça valer os princípios essenciais para a implantação de uma democracia digna.

Por: Luan Holanda

Anúncios

Make a Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

2 Respostas to “2010, ano eleitoral: uma análise filosófica do cenário político brasileiro”

RSS Feed for PERSPECTIVA CIDADÃO Comments RSS Feed

O povo foi adestrado para isso. Uma sociedade que não dá a mínima para os assuntos políticos é tudo que os corruptos querem (liberdade). Eles [os políticos] criaram várias formas de mudar o pensamento daquele saudoso povo revolucionário. Ou para que serve Carnaval, TV Globo e Futebol?

A parte que mais apreciei foi sobre a crise ideológica dos partidos. Hoje em dia os partidos não tem mais ideais e virtudes, com isso o povo passa a ter que depender apenas dos candidatos. O que desanima, depois de tantos escandalos. O reforço de partidos que protejam suas idéias é necessário e fundamental. Se um candidato é eleito por um partido sério, supostamente ele terá que respeitar as idéias do partido, até porque seus eleitores vão estar muito mais cientes em que tipo de candidato eles elegeram, e poderão cobrar isso.


Where's The Comment Form?

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: